A gente encontra pra você

Seu nome:

Seu e-mail:

Veículo desejado:

Escolha a faixa de preço:

Sua mensagem:

Venda seu carro na Savanna

Seu nome

Seu e-mail

Placa

Veículo

Versão

Ano

Cor

Valor Estimado

Envie uma foto

Sua mensagem

A Savanna busca o carro para você

Mais do que vender, a Savanna Veículos se preocupa em atender bem e sempre.
Para isso criamos um Pedido de veículos, onde você pode pedir por um veículo
que não esteja em nosso estoque

Este formulário pode ser preenchido por completo ou anonimamente, no entanto, se desejar um contato indique um e-mail e retornaremos com boas notícias sobre seu específico assunto. Esta mensagem será encaminhada diretamente à Diretoria.

Nome: *

Carro de Interesse: *

E-mail *

Telefone: *

Você deseja: *

Quer receber uma resposta por e-mail? *

Mensagem *

Notícias

Confira os carros mais vendidos de 2016



O mercado de veículos novos apresentou queda de 20% no ano passado, devido a retração na demanda e a redução de crédito. Mas isso não impediu que alguns modelos de carro leve apresentassem um bom desempenho de vendas, mesmo com a crise. Aproveite então para conferir os modelos mais emplacados de 2016:

1 – CHEVROLET ONIX
O primeiro colocado da lista foi o Onix. O modelo da GM alcançou o patamar considerável de 153.372 veículos novos vendidos. E que o veículo caiu no gosto do brasileiro, isso não é novidade: foi a preferência nacional também em 2015. E para manter as vendas aquecidas em 2016, a Chevrolet adotou a estratégia de lançar dois modelos com pequenas mudanças no design. E agradou. A versão Joy, lançada no meio de 2016, foi responsável por 40% das vendas do compacto.

2 – HYUNDAI HB20
O vice-campeão de vendas de 2016 e que também ultrapassou a marca dos 100 mil vendidos foi o HB20. Foram 121.616 unidades vendidas do modelo. Ele apresentou uma briga intensa com o primeiro colocado no primeiro semestre de 2016, havendo disputas constantes pela ponta entre o Onix e o HB20. Mas com as mudanças realizadas no Onix pela Chevrolet, a partir de agosto não houve como conter o disparo das vendas do primeiro colocado. Mas, em compensação, o HB20 obteve uma vantagem muito folgada em relação ao terceiro colocado.

3 – FORD KA
Encerrando o pódium, segue o Ford Ka, com 76.616 vendas realizadas. Houve uma série de modificações no modelo nos últimos anos, principalmente com o aumento de seu espaço interno. A reestruturação viabilizou sua permanência no mercado. Conseguiu, assim, fechar o TOP 3 dos mais bem posicionados em vendas de carros novos em 2016. Com as constantes modificações realizadas no modelo e as boas reações que o mercado tem reagido a elas, a tendência é que figure entre os mais bem vendidos por bastante tempo.

4 – CHEVROLET PRISMA
Com melhorias significativas em design, dirigibilidade e desempenho, o Prisma ficou na quarta colocação. A quarto lugar nas vendas se deve em grande parte nas alterações de design que a Chevrolet concebeu para o veículo. Dentre as alterações, a Chevrolet aplicou ao Prisma a mesma frente do Onix, tornando-o mais atrativo aos olhos do consumidor. Além disso, o modelo oferece o sistema MyLink que proporciona grande conectividade e facilita a vida do motorista com o acesso a smartphones e com a possibilidade de envio de mensagens por comando de voz.

5 – TOYOTA COROLLA
A Toyota não podia faltar à lista dos carros brasileiros mais vendidos e o veículo mais procurado do mundo em 2015 e 2016 também não. O Corolla bateu no ano de 2015 o recorde mundial de emplacamentos, com 1,33 milhão de unidades, e em 2016 também foi muito bem, com 1,31 milhão de vendas. E no Brasil consegui atingir o TOP 5 da preferência nacional, já que a Toyota realizou algumas alterações que fizeram bem ao layout interno e externo do carro. E quando o assunto é conectividade, a versão lançada em 2016 também fez bonito, oferecendo uma central multimídia com tela de mais de 7 polegadas.

E esses modelos conseguiram se manter na preferência do mercado nacional porque inovaram bastante: design, redução de consumo e oferecendo melhores condições de direção para o motorista. E a ótima notícia é que são modelos que começam a ter queda nos preços a partir desse ano, mesmo ainda estando em alta no mercado. Que tal aproveitar a queda dos preços desses veículos em 2017? Com isso, você considera as melhores ofertas para os carros que são os mais desejados do mercado.

Veja como aumentar a vida útil da suspensão do seu veículo



A suspensão é composta por vários itens que juntos têm a função de trazer estabilidade, conforto e segurança para motorista e passageiros. E a revisão periódica desse conjunto, ou ainda a forma como se dirige podem ser fatores cruciais para mantê-lo dentro dos padrões recomendados por um bom tempo. Mas, mais importante que favorecer a economia é ter em mente que manter a suspensão em bom estado significa também ter um veículo mais seguro para se dirigir. Afinal, um carro com falhas na suspensão não costuma responder ao volante da forma esperada, realizando movimentos que não foram previstos pelo condutor. Aproveite então e veja como se prevenir de estragos precoces na suspensão:

NÃO FORCE A SUSPENSÃO
Isso é fundamental, pois é o primeiro passo para garantir que não apareçam defeitos precoces em algum item do conjunto de peças. Uma forma de se forçar a suspensão é estacionar a metade do carro sobre a guia da calçada. Além de ser uma infração de trânsito grave, essa prática é ruim para qualquer veículo, pois a inclinação do carro favorece que o peso não seja distribuído da forma correta, forçando a suspensão. Outra prática que deve ser evitada é a de passar sobre buracos ou em alta velocidade por quebra-molas. Ambos danificam a suspensão.

FAÇA REVISÕES PERIÓDICAS
Levar o carro ao mecânico sempre que apresentar um comportamento inesperado é uma boa prática em qualquer situação. Com a suspensão não é diferente. Se seu carro faz barulhos estranhos vindo dos pneus, se está balançando muito ou, mais grave, se não está obedecendo seus comandos de direção, leve ao mecânico. Principalmente no último caso. Quando o carro demora a obedecer nas frenagens ou está fazendo movimentos estranhos, isso pode comprometer a sua segurança e dos passageiros. Nesse caso, leve o veículo para o mecânico imediatamente. E a grande vantagem imediata de se realizar uma revisão preventiva, que deve ocorrer entre 10 e 10 mil km rodados, é que se podem fazer correções de baixo custo. A revisão preventiva favorece prontamente a detecção de uma peça fora do padrão, não havendo tempo para que ela sobrecarregue outras que estejam em bom estado.

NÃO REBAIXE O CARRO
Essa é uma prática que caiu no gosto de muitos brasileiros, mas do ponto de vista funcional, deve ser evitada. O carro foi projetado para funcionar dentro de seus padrões originais e essa mudança muda alguns parâmetros. Por conta dela o manuseio da direção tende a ficar mais difícil, já que ela se torna mais “dura”. Com a suspensão, que é a área mais afetada, a mudança é mais grave. Como os itens são colocados à prova em condições para que não foram projetados, tendem a se desgastar mais rapidamente.

FAÇA A TROCA DE PEÇAS SEMPRE POR ORIGINAIS
Fazer trocas de peças originais por outras que não são ou que já foram usadas resulta em risco, pois os padrões não são mais garantidos e não há como se confirmar o real estado da peça substituta. Utilizar uma peça nova na troca garante qualidade e segurança na sua direção. Enfim, é importante levar o carro sempre para a revisão. Isso evita acidentes e que pequenos desgastes se tornem verdadeiras dores de cabeça no longo prazo. Normalmente uma troca simples não vai custar tanto ao seu bolso, mas se demorar por muito tempo, a tendência é que a peça danificada deteriore outras, aumentando o valor dos custos da manutenção corretiva.

Então cuide do seu carro e garanta a sua segurança e de seus passageiros sempre em dia, mantendo a revisão periódica.

Quais as cores mais valorizam o carro no momento da troca?



Vai trocar o veículo? Já escolheu o modelo? Se a resposta for “sim” para essas perguntas, talvez já tenha definido também a cor. E normalmente o que pesa para a decisão é a estética.
Mas, você considera a possibilidade de que a cor que escolheu não seja aquela que mais vai valorizar seu carro quando for vendê-lo?
Você já considerou que, dependendo dos preços de tabela, os valores podem ficar bem distantes do você espera para a revenda? Por isso, se você ainda está em dúvidas na escolha da cor, certamente este artigo poderá ajudá-lo no momento da escolha.
Acompanhe:
AS CORES QUE MAIS VALORIZAM O VEÍCULO
A tendência no trânsito é que as cores predominantes sejam monocromáticas, ou seja, tendem para o branco e para o preto.
Veja quais são e as vantagens e desvantagens de cada uma:

PRATA
É a cor mais requisitada e é ótima para esconder riscos na lataria, mas seu pigmento encarece o carro.

PRETO
É uma cor com ótima saída, mas que não ajuda na percepção de outros motoristas sobre o seu veículo na pista em direção noturna, aumentando a possibilidade de acidentes.

CINZA
Essa é a terceira colocada dentre as cores que mais saem. É uma tonalidade pouco chamativa, mas que deixa alguns riscos na lataria à mostra.

BRANCO
A grande vantagem dessa cor é que o carro costuma ficar mais barato que nas demais tonalidades. Mas, como não é um tom chamativo, costuma ser visado por ladrões.

NÃO CONSIDERE APENAS A VALORIZAÇÃO DA COR
É fundamental frisar que o fator financeiro não pode ser o único parâmetro para a escolha do seu futuro carro. Quando for comprar um veículo, não considere somente se vai ficar mais fácil para realizar a revenda.
Lembre-se: o proprietário imediato dele será você. Por isso, comprar o carro considerando apenas a revenda é o mesmo que adquirir o bem tendo em mente as necessidades do próximo dono. Isso não faz sentido, correto? Então, considere sim o fator financeiro, mas não apenas ele. Até porque há outros elementos que influenciam esse ponto.

Confira:
QUANTO MENOS PROCURADO, MAIS RARO É O VEÍCULO NO MERCADO
As fabricantes também percebem esses gargalos de oferta e demanda sobre as cores dos veículos. Por isso, colocam preferencialmente no mercado aquelas tonalidades que vendem mais rápido. Por isso, as cores que têm menos procura são também as mais raras no mercado. Dessa forma, se existe uma perda de valor devido a uma cor que não é tão procurada, há também um ganho porque existirá um público específico procurando. Por isso, é importante considerar dois fatores quando for realizar a compra do seu novo veículo: o coração e a razão. Se, para você é fundamental comprar um carro vermelho, mesmo que não seja este o que mais se valorize, por que não considerar a compra? Afinal, o dono do carro será você. E a sua experiência com o veículo será única.

Quais os cuidados você deve tomar ao comprar um usado?



 

Está pensando em comprar um carro usado? Este é um momento que pode despertar muitas dúvidas. Principalmente em relação aos dados fornecidos pelo vendedor. Conferir se estão de acordo com as reais condições do veículo pode se tornar um verdadeiro desafio sem a orientação correta. E muitos acabam se prejudicando por realizarem uma compra por impulso, sem considerarem suas reais necessidades. Por isso, é fundamental estar munido de todas as informações no momento de fechar a compra. E, para escapar de maus negócios, veja como fazer uma excelente aquisição seguindo essas dicas:

1 – FAÇA UMA INSPEÇÃO COMPLETA NO CARRO
As principais informações serão extraídas, de imediato, do próprio veículo. Então a primeira ação é fazer uma inspeção.
Veja quais itens conferir:

LATARIA E PINTURA
Quando um carro sofre um acidente, alguns proprietários pintam sobre a área danificada para esconder o problema. Se houve uma repintura, basta conferir se a cor da tinta está fosca. A tonalidade opaca pode indicar um reparo escondido.
VIDROS
Quando os vidros do veículo são trocados, isso dá a entender que o carro sofreu algum acidente – normalmente uma colisão frontal ou lateral. E para identificar se houve troca dos vidros, basta conferir se o número do chassi se encontra neles – em conformidade com o original de fábrica. Se não encontrar o número, leve para o mecânico e faça uma inspeção profunda.
FERRAMENTAS EMBAIXO DO ESTEPE
O macaco e a chave de roda ficam sempre embaixo do estepe e você deve conferir essas duas ferramentas antes de comprar um usado. A verificação desses itens é importante, pois normalmente os donos se esquecem de trocar essas ferramentas. E, caso estejam enferrujadas, isso pode indicar que o veículo foi inundado por enchente.
MOTOR
O motor tende a ser o item com maior valor agregado no veículo. Por isso, ao verificar essa peça, todo cuidado é pouco. Se a fumaça que o motor expele está cinza, indicando queima de óleo, a tendência é que a peça esteja “cansada” e que você tenha que gastar com a recuperação desse item em breve. E será que vale a pena gastar R$ 4 mil com um motor novo em um usado?

2 – APLICATIVO DE VERIFICAÇÃO DE PLACA
Existem aplicativos que identificam o histórico de qualquer veículo e que estão disponíveis gratuitamente para vários tipos de celulares e sistemas operacionais.
Com eles é possível verificar se o carro sofreu um acidente, por exemplo.

3 – PROCURE UM AMIGO MECÂNICO
O auxílio de um mecânico de confiança previne prejuízos e guarda a sua segurança e de quem você transporta.
Por isso, não dispense essa ajuda, pois o seu bolso e as pessoas que contam com você agradecerão.

4 – VERIFIQUE O MANUAL DO VEÍCULO
O manual é uma ótima fonte de informações sobre o histórico do seu futuro carro. No documento devem constar todos os dados de revisão. E, com essas informações obtidas, é possível fazer a inspeção do seu futuro veículo com mais segurança.

5 – COMPRE EM LUGARES DE CONFIANÇA
E todo cuidado é pouco ao se adquirir um usado. Por isso a melhor atitude é procurar empresas de confiança e com anos de atuação no mercado, garantindo a realização da compra do seu carro tão desejado.

Confira os 5 carros mais valorizados no momento da troca



Se você está pensando em comprar um carro, um dos fatores que deveria considerar no momento da compra é o valor de revenda. Os índices desvalorização variam bastante conforme o modelo do veículo, começando na faixa de 7% e chegando perto dos 30%. E vários fatores implicam na redução do preço. Alguns dos pontos são modelo, performance e consumo de combustível. Estes são apenas alguns parâmetros que podem definir o gosto da maioria dos motoristas. Quanto mais agrada, mais o valor do veículo tende a se manter perto do preço inicial. Então confira os 5 modelos mais valorizados em 2016:

1 – CHEVROLET ÔNIX
Além de ser o veículo mais vendido de 2016, o Ônix se demonstra como um ótimo investimento: é o carro que mais consegue manter o seu valor de mercado, com apenas 7,6% de desvalorização ao longo de um ano.
E a tendência é alta valorização se mantenha, já que a Chevrolet ouviu o consumidor e conseguiu para o modelo de 2017 reduzir o consumo de combustível em 18%.
Como resultado do esforço da montadora, o veículo passou a ser considerado como econômico e Inmetro o classificou como nota A.

2 – HYUNDAI HB20
Assim como o Ônix, o HB20 não deixa nada a desejar e agradou bastante o gosto do consumidor. Além de ser o segundo veículo que mais se valorizou no ano de 2016, com perda de apenas 8% ao ano, ficou apenas atrás do Ônix como o mais vendido. Os motivos não são poucos: é um carro que foi projeto pela Hyundai visando o público brasileiro e que fornece recursos Premium nas suas versões mais básicas.

3 – FORD FIESTA
E o terceiro lugar no topo da valorização segue o Fiesta, com perda de apenas 8,1% ao ano. Comparando-se com o anterior é uma ótima média: perda de apenas 0,1% em relação ao segundo colocado.
É um ótimo carro, que consegue andar bem sem consumir volumes exagerados de combustível no perímetro urbano e também nas estradas. E para quem viaja bastante é uma ótima pedida, já que tem um porta malas de bom tamanho e consegue aconchegar bem os 3 passageiros no banco traseiro.

4 – RENAULT SANDERO
Outra excelente opção e que não deixou a desejar em termos de valorização foi o Sandero, que perde apenas 8,1% de seu valor ao ano. É uma excelente opção para quem tem família grande, já que possui um robusto bagageiro de 320 Litros e uma distância de 2,9 m entre os eixos das rodas dianteiras e traseiras. Esse espaço considerável entre eixos permite que até 3 adultos, mesmo que sejam altos, se acomodem à vontade nos bancos traseiros – sem ficarem com os joelhos apertados.

5 – VOLKSWAGEN UP!
A Volkswagen não podia faltar na lista e marca presença com o Up!. O quinto da lista perde 8,3% de um ano para outro em seu valor, oferecendo um excelente preço de revenda. É um carro bastante alemão, já que oferece um design mais limpo, mesmo sendo jovial, e que remete a bons espaços internos (mesmo sendo um compacto) e que tem um motor 1.0 que faz mais bonito que muito 1.4 nas arrancadas. Ou seja, é pura eficiência.

Ótimas opções, não?
E não é por acaso que esses cinco veículos perdem pouco seu valor, já que realmente caíram no gosto do consumidor, oferecendo, em sua maioria, bom espaço interno, boa performance e ótimo custo benefício.

3 Dicas incríveis para escolher seu som automotivo



A escolha do som automotivo pode resultar em frustrações caso o proprietário não saiba exatamente o que está procurando. Principalmente porque as possibilidades de escolha são muitas, o que facilita pela variedade, mas dificulta pela necessidade de uma pesquisa prévia. E para facilitar para você, elencamos alguns fatores indispensáveis para considerar na escolha do seu som. Por isso, não perca essas dicas quentes que vão fazer o som do seu carro bombar:

DICA 1 – ESCOLHA PROFISSIONAIS CAPACITADOS PARA REALIZAREM AS ADAPTAÇÕES
Por mais que se saiba que o mais correto seja procurar assistência especializada, muitos motoristas optam por contratar “instaladores” para realizarem os serviços de implementação do som automotivo. Normalmente, a preferência se dá pelo preço mais baixo. Por isso, é necessário comentar sobre os possíveis riscos dessa escolha.
Os equipamentos de som são bastantes sensíveis. Portanto, basta que ocorra alguma ligação incorreta para que queimem.

Além disso, para fazer a instalação do som é necessário trabalhar com a fiação do carro. Qualquer corte incorreto pode fazer com que seu veículo pare de funcionar. E mais grave: em alguns casos, a instalação indevida pode ocasionar incêndios. Você não vai querer colocar a sua vida em risco e das pessoas que você transporta pelo custo “mais em conta” que os “instaladores” costumam oferecer, vai?

DICA 2 – “CASE” AS FREQUÊNCIAS SONORAS

O termo casamento é uma boa referência para comparar a forma como as caixas de som de seu veículo se comportam quando estão equilibradas. As frequências sonoras se casam. E para que esse casamento aconteça, existem quatro tipos principais de caixa de som automotivo, cada uma delas desempenhando uma função.
Confira quais são:

- MID RANGE. Responsável pelos tons médios. Seu tamanho está entre 2 e 4 polegadas;
- TWEETER. Sons mais agudos. São bem pequenos, em torno de 1 polegada;
- WOOFER. Em média 8 polegadas;
- SUBWOOFER. 8 a 15 polegadas.

O motivo para o casamento está relacionado com o tamanho. Quanto maior é uma caixa, mais ela tende a ser grave. E adquirir todas essas caixas é importante para manter o som equilibrado.
Isso é perceptível quando se coloca um subwoofer perto de um mid range sem a presença das caixas intermediárias. A sensação é de um “vácuo”, já que nem todo campo sonoro foi preenchido.

DICA 3 – ESCOLHA O SOM PELA POTÊNCIA CORRETA
A potência deve ser considerada por dois motivos. O primeiro é que quanto mais potente, mais alto tende a ser o volume do aparelho. O segundo é pela qualidade: quanto mais potente é um dispositivo, mais qualidade sonora ele oferece. E normalmente um equipamento sonoro apresenta duas potências , a RMS e a PMPO.

A PMPO não deve ser considerada, pois os valores variam conforme os critérios próprios do fabricante. Entretanto, a RMS é adotada como padrão técnico, pois demonstra o valor real de potência que está sendo disponibilizado pelo equipamento. E um bom valor para começar com o som automotivo é o de 100 W RMS. Com ele você terá uma boa distribuição do som pelos quatro falantes (25 Watts para cada).

Qual é o melhor tipo de antena para o meu carro?



O mercado disponibiliza uma variedade extensa de antenas para veículos. As formas variam conforme as necessidades dos clientes. E isso faz todo sentido. Se o uso do seu veículo se restringe mais ao perímetro urbano, suas necessidades podem ser diferentes de quem costuma viajar com frequência. Passar por longos trechos de estrada, longe das rádios, faz diferença na hora de se escolher uma antena. E vários fatores influenciam no momento da escolha, incluindo os estéticos. E você, já sabe como escolher a antena que mais se adequa às suas necessidades? Então descubra agora lendo este post!

ANTENAS DE TETO
Essas antenas costumam ser ótimas receptoras das frequências AM e FM. E servem muito bem para quem sempre precisa pegar a estrada, pois conseguem receber os sinais do FM com até 50 Km da emissora. E no AM a recepção do sinal é melhor ainda. E se você viaja muito e precisa carregar objetos em cima do capô, opte pelas antenas de haste flexível. Elas vão evitar que você tenha dificuldade no momento de colocar a carga que será transportada.

ANTENAS TELESCÓPICAS
Elas captam as ondas com a mesma capacidade que as antenas de teto, com a vantagem de não dificultar a utilização do capô do carro como porta bagagens. Além disso, podem ser reduzidas totalmente de tamanho, caso não estejam sendo utilizadas.

ANTENAS INTERNAS
Estas são ideais para quem dirige principalmente em perímetro urbano. Elas captam o sinal com grande eficiência dentro das cidades, sua implementação é barata e não existe a necessidade da perfuração do veículo, como nos demais modelos. E como não ficam na área externa do carro, não existe a possibilidade de estrago por vandalismo.

ANTENAS SHARK
Essas antenas trazem grandes vantagens conjuntas dos outros modelos. Como não têm hastes longas, não se tornam foco de ação de vândalos. Além disso, conferem ao veículo um aspecto mais esportivo. E sua recepção também é de altíssima qualidade, sendo apropriadas para utilização de GPS e GSM.

ANTENAS DECORATIVAS
Esse modelo não funciona como antena, mas tem um apelo estético que costuma chamar a atenção do consumidor. Se você prefere utilizar antenas internas para evitar danos no equipamento externo, é possível utilizar um modelo shark apenas como fim decorativo, por exemplo.

JÁ SABE QUAL ANTENA ADQUIR?
Agora você que você já conferiu as dicas sobre antenas veiculares, está pronto para fazer uma compra mais segura.

Como valorizar o seu Veículo no momento da troca



Há situações que pedem pela venda do veículo próprio. Muitas vezes pela necessidade de compra de um carro novo ou simplesmente porque se pretende conseguir um dinheiro rápido. E essa situação costuma trazer uma série de dúvidas. Devo anunciar na internet? Procuro uma revenda? Como deixo meu carro mais valorizado?

Enfim, perguntas não faltam. Por isso, confira como realizar a venda com segurança e como valorizar seu veículo com procedimentos simples:

FAÇA UMA PEQUENA REVISÃO

E nem pense em gastar um dinheirão com o valor investido na revisão. 5% do valor do veículo é mais que o suficiente, já que é uma quantia que dificilmente se recupera no momento da venda. Mas para fazer pequenos reparos, como solucionar arranhões mais evidentes ou pequenos amassados, é importante procurar uma oficina para a revisão. Isto vai valorizar o veículo no momento da venda.

ITENS ORIGINAIS

Sim, itens originais contam. E muito. Principalmente porque o comprador pretende adquirir um carro que aparente ser o mais novo possível. Como se fosse um original de fábrica. Portanto, customizações não são bem-vindas no momento da troca. Principalmente como rebaixamentos ou rodas modificadas. E é sempre bom retirar os adesivos. Isso pode não rebaixar o preço do veículo, mas não causa uma boa impressão ao comprador.

UMA LIMPEZA INTERNA E EXTERNA

Esse é um procedimento que ajuda bastante. É fundamental vender um carro limpo, polido e sem manchas no estofado. E preferencialmente que não esteja com o couro dos assentos ressecados. A boa conservação colabora prontamente no momento da venda. Uma limpeza externa e interna bem-feitas vão fazer toda a diferença ao causar uma ótima primeira impressão no comprador. Uma dica: deixe o carro tão bonito que sinta pena de vende-lo.

GUARDE O HISTÓRICO DE MANUTENÇÕES

O histórico de manutenções preventivas é importante porque demonstram ao comprador que você teve muito cuidado com o veículo antes de passa-lo para frente. É mais uma forma de demonstrar que a revisão está em dia e que dificilmente o automóvel causará dores de cabeça ao futuro dono.

MANTENHA OS DOCUMENTOS DO VEÍCULO

Ter em mãos os documentos do carro e o fato de estarem todos em dia é um fator importante. Pense como o comprador: ele quer testar o novo veículo e, a partir do momento que decidiu pela compra, vai querer utiliza-lo mais breve possível. Além disso, ele pode ficar inseguro quanto a possibilidade de compra, ao se questionar sobre a situação dos documentos – caso não estejam em dia.

Seguindo essas dicas atentamente, que são simples de serem executadas, com certeza você conseguirá valorizar o seu veículo no momento de passa-lo para outra pessoa.

Conheça as formas mais comuns de Adulteração da Gasolina



É comum que noticiários mostrem postos sendo multados por adulteração em combustíveis. Mas você saberia dizer se a gasolina que usa não foi adulterada? Saberia como proceder caso fosse vítima desse tipo de prática ilícita? Então confira as formas mais comuns e saiba como as evitar:

GASOLINA COM SOLVENTE

Este é um dos tipos de adulteração mais agressivos para o veículo. São adicionados produtos químicos irregulares na gasolina. Esse tipo de alteração pode trazer danos irreversíveis para o motor.

GASOLINA E DIESEL

O diesel, assim como gasolina, é derivado do petróleo, mas com propriedades diferentes. Isso inclui o seu processo de queima. A queima da gasolina é completa, enquanto que a do diesel não é. Por isso, ficam alguns resíduos como resultado da combustão incompleta. Há dois problemas com isso. O primeiro é a perda financeira que o consumidor tem, já que está pagando por um combustível mais caro e eficiente do que recebeu. O segundo, mais grave, é que os resíduos resultantes da combustão do diesel podem danificar o motor de forma permanente.

ÁLCOOL MOLHADO

Adicionar água diretamente à gasolina não é uma prática utilizada, já que elas não se misturam. Mas a legislação brasileira obriga a venda da gasolina com a presença de álcool anidro, que se mistura muito bem com a água. Nesse caso, o composto é alterado adicionando-se água ao álcool. Com isso, o combustível perde sua eficiência. Além disso, como o processo é irregular, na maioria das vezes a água que é adicionada é de torneira. Isso pode danificar o motor com os resíduos presentes na água.

ÁGUA COM NÍVEL DE ÁLCOOL ACIMA DO PERMITIDO

A ANP (Agência Nacional do Petróleo) determina que o nível de álcool na gasolina deve ser de 25%, com tolerância de 1% para mais ou para menos. Caso aja um volume maior do que esse, o combustível foi adulterado. Esse é um tipo de adulteração que é bastante comum e é menos agressivo: não danifica o motor do carro. Mas causa prejuízos ao bolso do consumidor. O álcool queima bem mais rápido que a gasolina, o que acelera seu consumo. Com isso, o consumidor tem que ir ao posto para encher o tanque antes do que deveria.

COMO EVITAR?

A principal ação para evitar ser prejudicado por postos mal-intencionados é evitar lugares onde o preço está baixo demais. E evite abastecer em vários lugares. Encontre um posto de confiança. Isso reduz a possibilidade de ser lesado.

E SE CONSTATAR IRREGULARIDADE…

A responsável pela distribuição, controle e fiscalização da qualidade da gasolina é a ANP. Caso encontre um lugar suspeito, você pode fazer a reclamação através deste formulário http://www.anp.gov.br/wwwanp/fale-conosco/sac

Outro órgão importante que pode ser acionado nesses casos é o Procon. Ele também pode ajudar, já que se trata de um dano ao consumidor – principalmente se as denúncias contra um mesmo posto forem recorrentes.

Como procurar uma oficina mecânica



Ano novo chegando e com ele uma baita vontade de resolver as pendências do período anterior. Às vezes, a ida ao mecânico se torna uma dessas pendências. E a demora em procurar ajuda profissional é nociva. Problemas simples podem ficar graves: com o passar do tempo, um pequeno barulho diferente no seu carro pode se tornar um estrondo. E isso pode ocorrer devido a um simples desafio: a dificuldade em se encontrar uma oficina confiável. Por isso, não deixe de ler essas dicas, que vão ajudar bastante na escolha da melhor oficina:

PROCURE LOCAIS COM BOA REPUTAÇÃO
O ideal é procurar uma oficina que transmita organização e confiança: nada de peças espalhadas e de mecânicos e estabelecimento sujos. Além disso, não custa nada conversar com algum amigo que entenda do assunto. Peça indicações a ele dos melhores locais para se fazer reparos no seu carro. E peça referências tanto dos locais aonde você pode ir, quanto dos que deve evitar.

PEÇA UM ORÇAMENTO CLARO E COMPLETO
Uma ótima forma para evitar os maus mecânicos, é pedir um orçamento claro. Solicite que tudo venha discriminado e que a explicação seja detalhada. Caso o serviço não tenha uma explicação clara e quem te atende parece enrolar, desconfie. É um direito seu saber pelo que está pagando. Principalmente se o valor parece desproporcional em relação ao serviço que foi solicitado. Analise: pareceu muito barato ou muito caro, procure outras opiniões.
Importante: o serviço poderá ser realizado apenas com a sua aprovação explícita, depois de ter se inteirado de tudo que será feito no seu veículo.

TOME ALGUNS CUIDADOS DEPOIS QUE O SERVIÇO FOI FINALIZADO
Quando o responsável te entrega o carro e diz que “o serviço está pronto”, quem define se está satisfatório é você. Não pegue o carro e vá embora com ele de imediato. Faça alguns testes antes. Dê uma volta com veículo e verifique se não há nenhum barulho ou comportamento estranho. E se, por acaso, o seu carro se comportar de forma estranha dentro de três meses depois do reparo, não se aflija. Se o problema persistir, o Código de Direito do Consumidor provê garantia de até 90 dias após a realização do serviço. E você tem direito a um novo reparo gratuito ou reembolso. Por fim, requeira todas as peças que foram trocadas. As oficinas que as oferecem sem nenhuma objeção demonstram ética profissional. Isso garante que o estabelecimento não irá utilizá-las no carro de outro cliente. E, reforçando, sempre dê preferência para oficinas onde quem atende demonstra o serviço de forma clara. Normalmente os bons profissionais fazem questão de falar sobre seu trabalho e não têm motivo para esconder informações da clientela.

Página 1 de 3512345...102030...Última »